A Cidade

História da Cidade

Vargem Grande foi elevada à categoria de cidade pelo Decreto-Lei Nº 45, de 29 de março de 1938, mas a formação política e jurídica do município de que é sede teve origem com a criação, em 1835, da Vila da manga do Iguará ( hoje Nina Rodrigues). Em 1840, ainda uma pequena povoação, serviu de acampamento à 3ª Coluna, sob as ordens do major Feliciano Antônio Falcão, das tropas comandadas pelo coronel Luís Alves de Lima e Silva na repressão da Balaiada. Somente em julho de 1842, pela Lei provincial nº 7203, passou à condição de vila. Antigo ponto de encontro das estradas de boiadas que vinham de Caxias e Itapecuru-Mirim, até hoje Vargem Grande, apesar de ser um grande centro de produção agrícola, demonstra sua forte vocação para pecuária. Entre os ilustres filhos da terra, o que mais se destacou foi Raimundo Nina Rodrigues. Médico, patologista, criminalista, professor e etnógrafo, Nina Rodrigues conquistou renome internacional e é considerado o criador da antropologia criminal em nosso país.

Aspectos Geográficos

Município: Vargem Grande
Gentílico: Vargengrandense
Estado: Maranhão
Mesorregião: Norte Maranhense
Microrregião: Itapecuru-Mirim

Localização

Distância: 175km da capital São Luís
Limites ao Norte: Nina Rodrigues e São Benedito do Rio Preto
Limites ao Sul: Timbiras e Coroatá
Limites ao Leste: Chapadinha
Limites ao Oeste: Cantanhede e Pirapemas

Características

O município de Vargem Grande-MA é perfeito para quem procura tranquilidade,  seus habitantes são  acolhedores e quem conhece a cidade pela primeira vez torna-se visitante assíduo.

Festejos Tradicionais

O município tem história, cultura e natureza. São Raimundo é sem dúvida o grande atrativo da cidade. No mês de janeiro é realizado o festejo de São Sebastião – que dá nome à Igreja matriz, mas é só até aí, porque depois disto, o restante é só de São Raimundo. Chega agosto e a cidade “pega fogo”, é visitante de todos os lugares, inclusive do exterior. O 22 de agosto é uma celebração só, a romaria até o povoado Paulica já faz parte da tradição da cidade. A BR 222, que dá acesso à cidade, fica interditada pela Polícia Rodoviária Federal enquanto a “imagem do santo” não chega ao seu destino. Os dias 30 e 31 não são diferentes, a cidade fica um alvoroço, mas a agitação faz parte do evento, tudo de forma organizada.